Cabeçalho 1

9 de out de 2012

Paralisação afeta 70% do serviço público estadual de saúde

A greve de praticamente apenas um dia, suspensa temporariamente em decisão da assembleia após apelo do governo do Estado, paralisou cerca de 70% do serviço público estadual do Estado, de acordo com estimativa da diretora do Sindsaúde, Simone Hagemann.

O movimento alcançou as 10 principais unidades de saúde do Estado: Instituto de Psiquiatria (IPQ), Hospital Regional de São José, Maternidade Carmela Dutra, Hospital Celso Ramos, Cepon, Hemosc, Hospital Nereu Ramos, Hospital Infantil, Maternidade Darcy Vargas e Hospital Regional de Joinville.

Ficaram mantidos os atendimentos de emergência e urgência. Os pacientes já internados também continuaram recebendo assistências. As demais atividades ficaram suspensas.

Saúde decide suspender greve por duas semanas

Foto de Carlos Kilian / Agência AL
A assembleia extraordinária dos servidores da saúde, reunidos no hall da Assembleia Legislativa na tarde terça-feira (09/10), aprovou a suspensão temporária da greve da categoria até o dia 23 de outubro. A defesa da proposta foi feita na reunião pelos integrantes do comando de greve, que resolveu dar um voto de confiança ao governo do Estado.

Também ficou decidido manter paralisação de uma hora, todos os dias, das 13 às 14 horas.

Clique para aumentar
Em ofício enviado na segunda-feira (08/10), o secretário-adjunto da Secretaria da Saúde, Acélio Casagrande, pede aos diretores do Sindicato da Saúde a supensão do movimento por 15 dias, quando o governo promete apresentar manifestação "acerca da pauta de reivindicações".

Para a direção do sindicato, no entanto, ainda fica a dúvida sobre o conteúdo da contraproposta que o governo vai apresentar em duas semanas e qual ponto da pauta de reivindicações o governo pretende atender.

Assembleia rosa das servidoras da saúde

A iluminação temática do Outubro Rosa na Assembleia Legislativa deu uma coloração diferente para a reunião dos servidores da saúde no hall do Parlamento, muito apropriado para as servidoras, que são a grande maioria na categoria.

Fotos de Carlos Kilian, da Alesc.



Deputado Soares comenta greve dos servidores da saúde

Publicado originalmente no site do deputado Sargento Soares
A deflagração da greve dos servidores estaduais da saúde foi comentada na tarde desta terça-feira (09/10) pelo deputado Sargento Amauri Soares em seu pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa. Os servidores estão há mais de um mês mobilizados em torno do reajuste salarial, quando o governo, segundo o deputado, "de forma imprudente provocou a categoria".

A mobilização começou depois que Secretaria de Estado da Saúde anunciou o corte gradual de horas extras, chamadas de horas plantão, e a contratação de 300 servidores para o Hospital Regional de São José. Segundo o Sindicato dos Servidores da Saúde (Sindsaúde), o pagamento da hora plantão representa hoje de 30 a 75% do salário dos servidores. Por mais de 20 anos, ainda segundo o sindicato, o governo se utilizou do expediente da hora plantão para suprir a falta de funcionários, deixando os servidores, na opinião do deputado, "sufocados por uma jornada de trabalho intensa".

Sindsaúde: Edileuza Fortuna fala sobre a deflagração da greve

Edileuza Fortuna, vice-presidente do Sindicato da Saúde (Sindsaúde), fala sobre os motivos que levaram os servidores da Saúde a deflagrar a greve no serviço público de saúde, em entrevista para a Rádio Alesc e TVAL. No momento da entrevista, os servidores realizam assembleia extraordinária, no hall da Assembleia Legislativa, para discutir pedido do governo de suspensão da greve por 15 dias até uma nova contraproposta.


 

Confira o desempenho dos parlamentares na disputa municipal

Da Agência AL:

Três deputados estaduais seguem na disputa pela prefeitura de suas bases eleitorais. Os resultados das eleições municipais deste domingo (07) confirmaram a presença de Cesar Souza Junior, Jean Kuhlmann e Kennedy Nunes, todos do PSD, no segundo turno em Florianópolis, Blumenau e Joinville, respectivamente.
Cesar venceu a disputa no primeiro turno na Capital com 31,68% dos votos válidos (76.024). Ele terá como adversário Gean Loureiro (PMDB), que atingiu 27,37% (65,678 votos).

Em Blumenau, Jean ficou na segunda posição, como 30,75% dos votos válidos (57.067) e terá como concorrente no segundo turno Napoleão Bernardes (PSDB), que recebeu 38,68% dos votos (71.792).
Já no maior colégio eleitoral de Santa Catarina, Kennedy Nunes venceu o primeiro turno com 41,42% dos votos válidos (100.058). Ele terá como adversário Udo Dohler (PMDB), que recebeu 35,52% dos votos (85.817).

Em Lages, deputado é eleito

Ao menos um deputado estadual não estará mais na Assembleia Legislativa em 2013. Trata-se de Elizeu Mattos (PMDB), eleito prefeito de Lages, na Serra Catarinense.

Eleições alteram legislativo estadual em 2013

Da Agência AL:

As eleições municipais deste ano podem abrir até quatro vagas no Legislativo estadual em 2013. Uma dessas vagas já está confirmada: trata-se do deputado Elizeu Mattos (PMDB), que foi eleito prefeito de Lages, na Serra Catarinense. As outras três dependem do desempenho dos três deputados estaduais que vão disputar o segundo turno: Cesar Souza Júnior em Florianópolis, Kennedy Nunes em Joinville e Jean Kuhlmann em Blumenau, todos do PSD.

A vitória de Elizeu deve significar a efetivação do suplente Maurício Eskudlark (PSD), 25º colocado dentro da coligação composta por PTB/PMDB/PSL/PSC/DEM/PTC/PRP/PSDB nas eleições de 2010, abrindo vaga para Daniel Tozzo (PSDB) como suplente. Atualmente, Eskudlark exerce o mandato de deputado, já que dois parlamentares da coligação – Ada Faraco de Luca e Valdir Cobalchini – estão licenciados para ocupar os cargos de secretária estadual de Justiça e Cidadania e secretário estadual de Infraestrutura, respectivamente.