Cabeçalho 1

7 de jun de 2008

Bodas de Papel

O filme de abertura do FAM-2008 (Florianópolis Audiovisual Mercosul) foi uma surpresa desagradável. Em sua estréia como diretor, André Sturm fez uma película "sobre o amor", em suas próprias palavras, que não passa de um romance água com açúcar. "Bodas de Papel" é tecnicamente mal feito.

Não tem roteiro coerente - ou pelo menos incoerentemente inteligente; a fotografia é muito fraca - com exceção das cenas externas. O enquadramento é mal feito, tem mais sombra que atores em cena; e a dupla de protagonistas (Helena Ranaldi & Dario Grandinetti) são muito fracos - sorte que o filme ainda tem os veteranos Walmor Chagas e Sérgio Mamberti (Rá-Tim-Bum).

Faça-se justiça: é a primeira vez que vejo um filme ruim no FAM, que está em sua 12a edição, um dos principais eventos culturais de Florianópolis e a melhor atividade cinematográfica da cidade - tão pobre em salas de cinema.

Como diretor, Sturm é um excelente produtor. Criador e diretor da Pandora Filmes, ele foi pioneiro na distribuição de filmes de produção independente no Brasil. Em seu catálogo encontra-se quase 200 filmes, como "Trainspotting" (1996), de Danny Boyle, e "As Bicicletas de Belleville" (2003), de Silvain Chomet.