Cabeçalho 1

12 de jan de 2012

Licitação para curso de chinês não teve interessado


A licitação aberta para contratar uma empresa especializada em ministrar curso de chinês (mandarim) para os servidores da Assembleia Legislativa não deu em nada por falta de concorrente. Não apareceu um mísero interessado, como pode se ver na imagem acima do "Diário da Assembleia" de 15 de dezembro.

Quando a licitação foi aberta, em 16 de novembro do ano passado, repercutiu negativamente no blog "De Olho na Capital" e na coluna Informe Político do "Diário Catarinense".


No momento seguinte, a assessoria da Presidência da Alesc esclareceu que o curso seria para alunos da rede público de ensino, que seriam colocados para fazer intercâmbios com estudantes chineses, e não para os funcionários.

Em maio, a Escola do Legislativo, órgão vinculado à Alesc, já havia anunciado que ofereceria o curso no segundo semestre de 2011, mas não esclareceu para quem o curso seria dirigido.

É um fim melancólico, para uma licitação mal explicada.