Cabeçalho 1

4 de nov de 2011

Projeto concede direito de organização a militares

 Fonte: Agência Câmara

Dib: os PMs e BMs têm direito
de se associar.
A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado aprovou na quarta-feira (26) o Projeto de Lei 364/11, do deputado William Dib (PSDB-SP), que garante ao policial e bombeiro militar estadual o direito associativo, além de dispensá-lo de suas funções para cumprir mandato eletivo na respectiva entidade representativa.

A proposta altera o Decreto-Lei nº 667/69, que reorganiza as Polícias Militares e os Corpos de Bombeiros Militares dos Estados, dos Territórios e do Distrito Federal.

Pelo texto, o limite máximo de dispensados será de três militares. O projeto determina ainda que as instituições representativas terão direito a desconto em folha das contribuições dos associados.

Na opinião de Dib, as restrições constitucionais impostas aos militares, como a proibição à sindicalização e ao exercício da política partidária, não devem ser interpretadas de modo a inviabilizar qualquer tipo de associação desses profissionais. “O militar deve ter direito isonômico de tratamento na representatividade, como ocorre com o servidor público”, defende.

Bolsonaro: a associação dos
PMs e BMs já acorre nos estados.
Para o relator, Jair Bolsonaro (PP-RJ), a alteração apenas legaliza situações que já ocorrem, por iniciativa dos governos estaduais, diante da omissão da legislação federal. “Essa adaptação é relevante na medida em que as polícias militares estaduais passam por reformulações importantes, para conferir dignidade ao policial militar [e bombeiro militar]”, declarou.

Tramitação

A proposta, que tramita em caráter conclusivo, ainda será analisada pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.