Cabeçalho 1

17 de fev de 2011

Caramori critica postura do comando do Bombeiro Militar

Na disputa por espaço entre os Bombeiros Militares e os Bombeiros Voluntários, o deputado Reno Caramori (PP), defensor dos civis, usou adjetivos fortes para espinafrar os comandantes militares. Falou em "sabotagem", "covardia" e “ciúmes de homem”. Sobrou também para o ex-governador Luiz Henrique da Silveira. Leia a matéria a seguir da assessoria do parlamentar:

Tristeza e indignação deram a tônica do pronunciamento do deputado Reno Caramori (PP), segundo secretário da Mesa da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, na sessão plenária desta quarta-feira (16). O motivo foi a “capitulação” de mais um prefeito catarinense à pressão exercida pelo comando dos Bombeiros Militares, que não consegue admitir a grandeza e a importância do trabalho realizado pelas corporações de Bombeiros Voluntários no Estado de Santa Catarina. Desta vez, foi o prefeito do município de São Francisco do Sul quem cedeu e entregou o comando aos militares. O parlamentar prometeu levar o assunto ainda nesta quarta-feira ao governador Raimundo Colombo, “que certamente desconhece a gravidade destes fatos”, sugere Reno.

Em seu pronunciamento, o deputado Reno relembrou sua luta de 20 anos como parlamentar em favor dos bombeiros, sejam voluntários, militares ou comunitários. Voltou a se referir ao acordo “covardemente sabotado” pela representação dos Bombeiros Militares, depois de seis extensas reuniões com a mediação do Ministério Público e a participação do líder do PMDB à época, ex-deputado João Henrique Blasi. Citou o apoio dos ex-governadores Vilson Kleinubing e Esperidião Amin à causa dos voluntários e também voltou a se referir à reivindicação que fez em Caçador, durante um encontro dos Bombeiros ao então governador Luiz Henrique da Silveira.


“Pedi ao então governador LHS que determinasse aos seus comandados que deixassem os Bombeiros Voluntários trabalhar e que, para a instalação de novas corporações militares, priorizasse os mais de 150 municípios catarinenses que não são contemplados com nenhuma modalidade de corporação de bombeiros. “Na oportunidade, ele (Luiz Henrique da Silveira) não se dignou a levantar a cabeça para demonstrar que havia registrado nossa reivindicação”, lamentou o parlamentar. “Desta forma, enquanto trocamos organizações voluntárias, que trabalham muito e bem, por corporações militares, milhares de catarinenses são entregues à própria sorte, com seus acidentes, sinistros, e emergências diante das grandes catástrofes climáticas que temos presenciado”, alerta o deputado Reno.

Para o deputado Reno esta forte aversão do comando dos Bombeiros Militares contra as corporações voluntárias não passa de “ciúmes de homem”. Um sentimento que leva a ações altamente prejudiciais a todos os catarinenses, que sempre apoiaram e são a favor da continuidade das atividades dos Bombeiros Voluntários em Santa Catarina.

Fonte: Carlos Paniz (Assessoria de imprensa do deputado Reno Caramori)


Me siga no Twitter: http://twitter.com/tupanfloripa