Cabeçalho 1

10 de mar de 2008

Narcisismo às avessas

Vou assumir a hipótese que o PSTU é um partido de esquerda. Se a tese for verdadeira, seria lógico que o partido fosse aliado das principais referências das esquerdas no continente. Mas não é o que acontece. Assim como o narcisista é apaixonado pela própria imagem, o PSTU é contra tudo aquilo que é diferente.

Olha a opinião do PSTU sobre os principais ícones da esquerda brasileira e latino-americana:

Venezuela
Para o PSTU, o país combina a manutenção do capitalismo com programas sociais compensatórios, financiados pela renda do petróleo. "Algo próximo ao modelo da social-democracia européia do passado, mas em um país semi-colonial".

Hugo Chávez

É pró-imperialista, "mantém sólidas relações com o imperialismo europeu, e não vai romper com Bush".

Cuba
É um país capitalista, copia o socialismo de mercado da China. "Está perdendo seu caráter de país independente e marcha aceleradamente para se transformar em uma semicolônia do imperialismo europeu e canadense".

Fidel Castro
Fez a revolução socialista, depois trabalhou para reinstalar o capitalismo em Cuba. "Ao mesmo tempo em que mantém seus discursos contra Bush e a burguesia cubana exilada, homenageia permanentemente, junto com Chávez, o rei Juan Carlos, símbolo do imperialismo espanhol".

Farc
É uma organização reformista e conciliadora. Deveria organizar uma campanha "Fora Uribe", igual ao PSTU chamava o "Fora FHC". "Têm como proposta programática um governo de unidade nacional (governo burguês) e um regime de Estado de Direito (um regime burguês)".

MST
É governista, ainda não rompeu com Lula. "Acreditamos que o apoio do MST ao governo Lula conduz a uma posição equivocada diante da reforma universitária, e explica a decisão dos companheiros de evitar a unificação das atividades".

Psol
É reformista e privilegia a disputa no parlamento burguês.

Se o PSTU é contra tudo e contra todos, o que sobra?

As observações foram feitas a partir da leitura do site do PSTU, da mesma forma que os enxertos entre aspas.