Cabeçalho 1

14 de fev de 2013

Na tribuna, parlamentares defendem vinda da Força Nacional de Segurança a SC

Fonte: Alexandre Back / Agência AL
A onda de ataques criminosos em Santa Catarina voltou a ser destaque na tribuna na sessão ordinária realizada na manhã desta quinta-feira (14). Em meio aos pronunciamentos, diversos deputados destacaram a necessidade da vinda da Força Nacional de Segurança em apoio à força policial catarinense.

Os poderes e instituições públicas, na visão de Sargento Amauri Soares (PDT), devem superar desavenças e agir de forma coordenada, visando solucionar o problema. "O estado precisa sair da defensiva. As instituições públicas devem deixar de lado vaidades e intrigas e cumprir o papel constitucional de proteger o cidadão. Não vejo qual a dificuldade em aceitar a ajuda da Força Nacional de Segurança ou até mesmo a convocação da reserva remunerada de policiais militares”.

Valmir Comin (PP) acrescentou que o auxílio federal em tropas e serviços de inteligência não pode ser encarado como demérito às forças policiais catarinenses. “Temos uma causa maior que é a segurança e o bem-estar da população. Quando se busca essa parceria, dentro de uma forma integrada, também se divide o ônus e o bônus”.

Para Dirceu Dresch e Luciane Carminatti, ambos do PT, a situação expõe um grave problema existente no setor de segurança, agravado pela falta de ação das autoridades estaduais. “Tem que ter essa soma, que já está vindo tarde. Já em novembro do ano passado denunciamos esta situação. Era claro que os ataques voltariam, pois o sistema prisional de Santa Catarina é extremamente corrupto”, disse Dresch. “Precisamos investir em inteligência e na integração das polícias, inclusive utilizando tropas do Exército, que podem muito bem estar nas ruas, garantindo a segurança das pessoas”, destacou Carminatti, citando o exemplo da Estratégia Nacional de Segurança Pública nas Fronteiras (Enafron). “Já existe uma ação do governo federal para integrar as forças de segurança nas fronteiras. Por que não usar esta experiência no nosso estado?” disse. 
Já Mauricio Eskudlark (PSD) elogiou o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo pelo pronto atendimento ao governador do Estado, mas voltou a manifestar sua confiança na qualidade dos efetivos catarinenses. “Quando as forças de segurança se sentirem desacreditadas e desestimuladas, aí sim estaremos num caos social. Santa Catarina sempre teve o melhor efetivo do Brasil e, tenho certeza, logo voltará à normalidade”, disse.