Cabeçalho 1

29 de jun de 2012

Nota do comandante do Bombeiro Militar de Blumenau

Através de e-mail, o comandante do 3º Batalhão de Bombeiros Militar, de Blumenau, tenente-coronel Júlio César da Silva, manifestou sua posição em relação ao post publicado aqui sobre a postura do comandante-geral da corporação, bem como a notícia publicada no jornal "A Notícia" citada na matéria.

Segue a nota:

Manifestação do Comandante do Corpo de Bombeiros Militar de Blumenau   
Quero manifestar em meu nome e de mais 10 Comandantes de Batalhão de Bombeiros. Sobre nosso integral e total apoio em todas as ações do Sr Cel Masnik. O mesmo está defendendo a nossa Corporação, inclusive temos intenção de deixar um documento assinado, manifestando nossa integral concordância e alinhados com as Ações do nosso Comandante, em havendo substituição do Sr. Comandante Geral, será necessário trocar os Comandantes dos Batalhões de todas as grandes cidades do nosso Estado. Uma vez que muito nos honra servir sob o Comando do Coronel Masnik, que sempre defende e defendeu o CBMSC. No Corpo de Bombeiros Militar e Comunitários, somos contrários a PEC 001, por querer privatizar os serviços de Bombeiro. Somos favoráveis e parceiros dos Bombeiros Voluntários, mas eles precisam prestar contas de suas ações.
Toda profissão existe um órgão que fiscaliza e regula as atividades.
Respeitosamente,

JÚLIO CÉSAR DA SILVA - Tenente-Coronel BM
Comandante do 3º Batalhão de Bombeiros Militar
Agora segue meus comentários:

Primeiro, é preciso esclarecer que esse blogueiro não faz parte do time que está atuando nos bastidores para derrubar o comandante-geral do Bombeiro Militar, coronel Luiz Masnik, por outro motivo que não o tema do post deste blog - a disputa entre bombeiros militares e voluntários. O motivo que leva setores do governo a querer a saída do comandante é que ele, certo ou errado, não está se adequando à determinação do governador Raimundo Colombo para reduzir custos. Da mesma forma, esse blogueiro não faz parte da equipe que defende sua permanência. Essa é uma briga palaciana.

O que o blog publicou foram algumas reflexões baseadas em fatos concretos.

Segundo, apesar de a nota constar a referência que mais dez comandantes de batalhão subscrevem a manifestação, os nomes não foram apresentados. De qualquer forma, blefe ou não, é uma atitude.

Por fim, a nota não responde - e nem poderia - os questionamentos levantados na matéria: com o posicionamento do governador favorável à PEC-01/12, que dá poder aos municípios para fazer convênios com os bombeiros voluntários para fins de fiscalização, o que fará o comandante-geral do Bombeiro Militar? Até agora, o governo não desmentiu a notícia.