Cabeçalho 1

1 de out de 2010

Sindsaúde quer explicações sobre gravações do DEM

No set de filmagem de Raimundo Colombo, pacientes do Hospital e Maternidade Tereza Ramos ficam em segundo lugar para gravação de campanha eleitoral.

“As gravações em primeiro lugar”, este é o slogan perfeito para retratar a campanha política encabeçada pelo candidato Raimundo Colombo. Durante a gravação do seu programa no Hospital Geral e Maternidade Tereza Ramos, em Lages, as cirurgias marcadas para o dia tiveram que ser interrompidas para aguardar a conclusão das filmagens eleitorais. Além da mudança de prioridade do atendimento para a produção de campanha, o risco maior estava na contaminação do local com a entrada de equipamentos não esterilizados.


Advogados da candidata do PT, Ideli Salvatti, protocolaram pedido de investigação sobre o caso. Na tarde desta quinta-feira (30), a presidente do SindSaúde/SC, Edileuza Garcia Fortuna, reforçou o coro e protocolou ofício no Governo do Estado de Santa Catarina direcionado ao governador Leonel Pavan, Secretaria de Estado de Saúde; Ministério Público do Estado de Santa Catarina e Tribunal Regional Eleitoral.

No documento o sindicato pede informações e investigações sobre o caso do Hospital Geral e Maternidade Tereza Ramos, em Lages, e autorização assinada pelo Diretor Geral do Hospital, Osmar Buzatti Filho, que permitiu as gravações no local. A entidade ainda solicita que as medidas legais e necessárias sejam tomadas com a apuração dos fatos. Para um candidato que elege a saúde como prioridade e defende “as pessoas em primeiro lugar” tal atitude parece não condiz com a promessa de campanha.